Sodoma moderna quer seus filhos: Mãe vai a justiça após escola fazer, sem permissão, tratamento de mudança de sexo em seu filho

Publicado no dia 09 Agosto 2017

09.08.2017 -

Anmarie Calgaro processou funcionários da escola de seu filho, localizada no estado americano de Minnesota. O motivo: fizeram procedimento de troca de sexo sem o consentimento da mãe.

n/d

O The Christian Post também reportou que os órgãos educacionais St. Louis County, Fairview Health Services, Park Nicollet Health Services e St. Louis County School District figuraram como réus no processo.

Depois da derrota na primeira instância, Calgaro está indo ao Tribunal de Apelação do Oitavo Circuito em St. Paul para apelar da sentença que lhe negou o pedido.

Erick Kaardal, conselheiro especial da The Thomas More Society,  instituição que representa Calgaro no recurso à corte  disse que; “a Constituição dos EUA diz que os direitos parentais de pais aptos são direitos fundamentais; os direitos parentais dos pais sobre os menores não emancipados não podem ser encerrados sem o devido processo".

Em maio deste ano o juiz Paul Magnuson, contra quem Calgaro recorreu, admitiu que o direito parental da mãe estava intacto; contudo, decidiu em seu desfavor, argumentando que as razões do apelo eram “sem nenhum mérito” e que a escola não poderia ser processada por violação dos direitos parentais.

“A escola argumenta que Calgaro não conseguiu de forma plausível provar que a execução de uma política ou costume da escola privou os direitos parentais de Calgaro. A escola está correta”, disse o juiz Magnuson em sua sentença.

A Thomas More Society, em contrapartida, insistiu que, uma vez que Calgaro é divorciada, ela é de pleno direito a tutora da criança (menor de 18) e não poderia ter sua autoridade suprimida pela escola.

A adolescente, cujas iniciais do nome são E.J.K, disse que queria o tratamento de mudança de sexo (de masculino para o feminino), acrescentando que não foi coagida por ninguém a fazer a transição.

Fonte: Breitbart Brasil  via  Blog Libertar