Católico pode participar do Carnaval? Como queremos salvar nossa alma, é nosso dever fugir da ocasião do pecado

Publicado no dia 11 Fevereiro 2018

09.02.2018 - Nota de www.rainhamaria.com.br

Artigo publicado no site 14.02.2015

Por Dilson Kutscher

Este texto abaixo responde se os católicos podem participar do Carnaval, pois, se eles querem participar desta "festa" profana e demoniaca, são livres para isto, porém...

Diz na Sagrada Escritura:

"Quem ama o perigo nele perecerá". (Eclesiástico 3,27)

“Vosso adversário, o demônio, vos rodeia como um leão que ruge, procurando a quem devorar”. (I Pedro 5, 8)

n/d

Para um cristão "inteligente", será muito fácil de compreender,  porque se deve manter distância do Carnaval e de outras festas igualmente profanas.

Lembrando as Palavras de Santo Afonso Maria de Ligório:

"Fuga das ocasiões de pecado: um dos mais graves deveres da vida espiritual"

"Um sem número de cristãos se perde por não querer evitar as ocasiões de pecado. Quantas almas lá no inferno não se lastimam e queixam: Infeliz de mim! Se tivesse evitado aquela ocasião, não estaria agora condenado por toda a eternidade!

O Espírito Santo diz: “Quem ama o perigo nele perecerá” (Eclesiástico3, 27). Segundo São Tomás, a razão disso é que Deus nos abandona no perigo quando a ele nos expomos deliberadamente ou dele não nos afastamos. São Bernardino de Sena diz que dentre todos os conselhos de Jesus Cristo, o mais importante e como que a base de toda a religião, é aquele pelo qual nos recomenda a fuga da ocasião de pecado.

Se fores, pois, tentado, e especialmente se te achares em ocasião próxima, acautela-te para não te deixares seduzir pelo tentador. O demônio deseja que se se entretenha com a tentação, porque então torna-se-lhe fácil a vitória. Deves, porém, fugir sem demora, invocar os santos nomes de Jesus e Maria, sem prestar atenção, nem sequer por um instante, ao inimigo que te tenta.

São Cipriano, explicando essas palavras, diz que o demônio espreita uma porta por onde possa entrar na alma; logo que se oferece uma ocasião perigosa, diz consigo mesmo: ‘eis a porta pela qual poderei entrar’, e imediatamente sugere a tentação.

Se então a alma se mostrar indolente para fugir da tentação, cairá seguramente, em especial se se tratar de um pecado impuro. É a razão por que ao demônio mais desagradam os propósitos de fugirmos das ocasiões de pecado, que as promessas de nunca mais ofendermos a Deus, porque as ocasiões não evitadas tornam-se como uma faixa que nos venda os olhos para não vermos as verdades eternas, as ilustrações divinas e as promessas feitas a Deus.

Ó Deus, quantos cristãos existem que, apesar de levarem uma vida piedosa, caem finalmente e obstinam-se no pecado, só porque não querem evitar a ocasião próxima do pecado impuro. Por isso nos aconselha S. Paulo (Fil 2, 12): “Com temor e tremor operai a vossa salvação”. Quem não teme e ousa expor-se às ocasiões perigosas, principalmente quando se trata do pecado impuro, dificilmente se salvará.

Como queremos salvar nossa alma, é nosso dever fugir da ocasião do pecado. Principalmente devemos abster-nos de contemplar pessoas que nos suscitam maus pensamentos. Pelos olhos entra a seta do amor impuro e fere a alma”, diz São Bernardo (De modo bene viv., c. 23), e essa seta, ferindo-a, tira-lhe a vida. O Espírito Santo dá-nos o conselho: “Desviai vossos olhos de uma mulher adornada.” (Ecli 9, 8)

Conta-se que há uma espécie de ursos que caçam macacos: ao avistar o urso, fogem estes para as árvores. Mas que faz o urso? Deita-se debaixo da árvore e faz-se de morto. Descem os macacos com esse engano e então, de um salto, captura-os e devora-os. É o que pratica o demônio: representa a tentação como morta, e assim que desceres, isto é, logo que te expuseres ao perigo, desperta-a de novo, e ela te tragará.

n/d

Oh! Quantos cristãos, que se davam ao exercício da oração e da comunhão e, mesmo, levavam uma vida santa, não caíram nas garras do demônio, porque se expuseram ao perigo".

São Pedro nos afirma que o demônio rodeia cada alma para ver se a pode tragar: “Vosso adversário, o demônio, vos rodeia como um leão que ruge, procurando a quem devorar”. (I Pedro 5, 8)

(Santo Afonso Maria de Ligório, Escola da Perfeição Cristã, Compilação de textos do Santo Doutor pelo padre Saint-Omer, CSSR, IV Edição, Editora Vozes, Petrópolis: 1955, páginas 44-48)

* * *

Diz ainda Sagrada Escritura:

"Ora, as obras da carne são estas: fornicação, impureza, libertinagem, idolatria, superstição, inimizades, brigas, ciúmes, ódio, ambição, discórdias, partidos, invejas, bebedeiras, orgias e outras coisas semelhantes. Dessas coisas vos previno, como já vos preveni: os que as praticarem não herdarão o Reino de Deus!" (Gálatas 5, 19-21)

O Carnaval é um conjunto infernal de todas essas "obras da carne".

===============================

Nota final de www.rainhamaria.com.br

SEMPRE LEMBRANDO...

Disse o Padre Divino Lopes sobre o carnaval...

Fugi, católicos, de tão perigosos passatempos! Seja vosso gosto trabalhar, combater e sofrer com Jesus Cristo, neste mundo, para, com Ele, gozar eternamente no Céu. Quem pula carnaval grita: SOLTA BARRABÁS e CRUCIFICA JESUS CRISTO.

O CARNAVAL é a festa do demônio e o desfile do inferno.

n/d

O CARNAVAL é a festa do nudismo e da bebedeira.

O CARNAVAL é a festa da prostituição e da destruição das famílias.

O CARNAVAL é a festa da fornicação e da exaltação do homossexualismo.

O CARNAVAL é a festa das drogas e do assassinato.

O CARNAVAL é a festa do barulho.

O CARNAVAL exalta o mal e ridiculariza o bem.

O CARNAVAL é a festa do pecado. Nela, o demônio laça milhões de almas para o inferno.

Nessa festa do inferno, milhares de crianças perdem a inocência e milhares de jovens perdem a virgindade.

Ai daquele que PROMOVE o CARNAVAL! Melhor seria se não tivesse nascido! “… ai do homem pelo qual o escândalo vem!” (Mt 18, 7).