A Nova Igreja de Bergoglio: Campanha da Quaresma que une este ano a Igreja da Alemanha e da Índia, baniu as noções cristãs de penitência, pecado, jejum, oração

Publicado no dia 06 Março 2018

confissão e nem se digna citar Jesus, que foi substituído pelo culto a "mãe Terra"

06.03.2018 - Nota de www.rainhamaria.com.br

Xamã (bruxa) indígena mapuche, faz seu estranho ritual em Francisco, com suas tradições e sua cultura, voltados ao culto da "mãe Terra". (imagem Vaticano 2017)

n/d

=============================================

Esta é a Nova Igreja de Bergoglio, em que o exame e a reforma (conversão) da alma humana, tão típica desta época, foram substituídos pelo culto a "Mãe Terra"...

n/d

...do qual se deve preocupar, como Francisco já deixou claro, ao inventar pecados contra ambientalistas e um novo trabalho de perversidade anti poluente.

A campanha da Quaresma que une este ano à Igreja da Alemanha e da Índia, abrigada sob Caritas, baniu as noções clássicas de penitência, pecado, jejum, oração, confissão e nem se digna citar Jesus Cristo.

Assim, a pregação desses formidáveis ​​impostores que se chamam "bispos ou cardeais" torna inútil a Divina Paixão, Morte, Ressurreição e até a própria fundação da Igreja Católica, pelo Filho de Deus.

Notícia de https://cruxnow.com/author/ncarvalho

A Igreja na Alemanha e na Índia se reúnem para lutar contra a mudança climática durante a "quaresma". O Cardeal Cardeal Reinhard Marx, arcebispo de Munique e presidente da Conferência Episcopal da Alemanha, fez o lançamento de uma campanha conjunta da Quaresma, com a Caritas da India e da Misereor, a agência internacional de desenvolvimento dos bispos alemães.

n/d

(Imagem: Caritas India) 

MUMBAI, Índia - Uma campanha de Quaresma está reunindo duas igrejas que à primeira vista podem parecer mundos separados. Nesta Quaresma, o Caritas India e Misereor, a agência internacional de desenvolvimento dos bispos alemães, se unem para aumentar a conscientização sobre as mudanças climáticas, com o tema "Você mudou o mundo hoje?"

"Estamos passando por escolas e paróquias para conhecer crianças e pessoas que falam sobre a Índia e a necessidade de mudar nosso estilo de vida de acordo com o "Laudato si", do Papa Francisco", disse o padre Frederick D'Souza, diretor executivo da Caritas India, para Crux.

"Laudato si"', publicado em 2015, chama atenção a mudança climática, "um problema global com implicações sérias" e acrescentou que "o pior impacto provavelmente será sentido pelos países em desenvolvimento nas próximas décadas".

Entre os passos concretos propostos durante a campanha de Quaresma incluem: Usando água com moderação, usando eletricidade somente quando necessário, seguindo a prática vegana o máximo possível (NT: o Veganismo  rejeita o uso e consumo de produtos de origem animal por uma razão ética: o respeito pelos seres sencientes, embora também existam argumentos ambientais e de saúde)

Gulde ressalta que Francisco diz em "Laudato si", que em todo o mundo, a família humana deve se unir para buscar um desenvolvimento sustentável e integral, e ninguém deve ser deixado para trás no processo.

Visto em: http://religionlavozlibre.blogspot.com.br

============================

Nota de www.rainhamaria.com.br

Depois da notícia acima, só resta lembrar novamente o seguinte...

Declarou o Arcebispo francês Marcel Lefebvre:

"Não será dever de um católico julgar entre a fé que lhe ensinam hoje e a que foi ensinada durante vinte séculos de tradição da Igreja? Ora, eu acredito sinceramente que estamos tratando com uma falsificação da Igreja, e não com a Igreja católica. Por quê? Porque eles não ensinam mais a fé católica. Não defendem mais a fé católica. Eles arrastam a Igreja para algo diferente da Igreja Católica. A verdade e o erro não estão em pé de igualdade. Isso seria colocar Deus e o diabo em pé de igualdade, visto que o diabo é o pai da mentira, o pai do erro. Como poderíamos nós, por obediência servil e cega, fazer o jogo desses cismáticos que nos pedem colaboração para seus empreendimentos de destruição da Igreja? Se acontecesse do papa não fosse mais o servo da verdade, ele não seria mais papa. Não poderíamos seguir alguém que nos arrastasse ao erro. Isto é evidente. Não sou eu quem julga o Santo Padre, é a Tradição. Para que o Papa represente a Igreja e seja dela a imagem, é preciso que esteja unido a ela tanto no espaço como no tempo já que a Igreja é uma Tradição viva na sua essência. Na medida em que o Papa se afastar dessa Tradição estará se tornando cismático, terá rompido com a IgrejaEis porque estamos prontos e submissos para aceitar tudo o que for conforme à nossa fé católica, tal como foi ensinada durante dois mil anos mas recusamos tudo o que lhe é contrário.  E é por isso que não estamos no cisma, somos os continuadores da Igreja católica. São aqueles que fazem as novidades que estão no cisma.  Estou com vinte séculos de Igreja, e estou com todos os Santos do Céu!”

Diz na Sagrada Escritura:

"Estai de sobreaviso, para que ninguém vos engane com filosofias e vãs sutilezas baseados nas tradições humanas, nos rudimentos do mundo, em vez de se apoiar em Cristo" (Colossenses 2, 8).

"Porque virá tempo em que os homens já não suportarão a sã doutrina da salvação. Levados pelas próprias paixões e pelo prurido de escutar novidades, ajustarão mestres para si" (II Timóteo 4, 3).