O Sínodo da Amazônia em 2019, pode ser um "cavalo de tróia", para implantação de sacerdotes casados e uma futura ordenação de mulheres na Igreja

Publicado no dia 12 Março 2018

11.03.2018 -

O comitê preparatório inclui bispos com idéias claramente radicais. O sínodo da Amazônia de 2019, o tema oficial é "Amazônia: novos caminhos para a Igreja e para uma ecologia integral", e abordará as dificuldades de uma região afetada pela pobreza, a destruição do meio ambiente e a falta de clero para cobrir uma vasta área. Vários bispos e teólogos da região amazônica propuseram "sacerdotes casados". Enquanto os adeptos do movimento vêem isso como uma resposta prática necessária à falta de sacerdotes, os críticos dizem que é uma maneira "clandestina" de minar o celibato clerical na Igreja.

Esse debate é susceptível de aquecer, pois dois dos membros do comitê são proeminentes "patrocinadores" dos sacerdotes casados ​​e parecem estar abertos à "ordenação das mulheres", uma idéia que a Igreja descartou decisivamente. Um membro do comitê, o bispo Erwin Kräutler, ex bispo do Xingu no Brasil, falou com o papa Francisco em 2014 e 2015 sobre a possibilidade de ordenar homens casados

Seu lugar na comissão provavelmente significa que as "propostas" estarão na vanguarda quando os bispos se encontrarem em Roma.

O bispo Lobinger, diz que o bispo Kräutler citou com aprovação, foi pioneiro na idéia de "viri probati": homens mais velhos na comunidade que serão ordenados a realizar um ministério especial. Do ponto de vista do bispo Lobinger, eles poderiam ser casados, sem mesmo ir ao seminário.

n/d

Se isso soar "radical", é isso mesmo que é. E o seu passado torna ainda mais óbvio: a noção de "viri probati" foi um conceito favorito de teólogos que desejam reescrever a ideia do sacerdócio. Leonardo Boff, que afirma ter ajudado Francisco a escrever "Laudato Si', argumentou que a Igreja "simplesmente não pode ... manter suas proibições tradicionais"também  sobre as sacerdotisas. (mulheres que poderão ser ordenadas)

"Reconstituição" do sacerdócio em um modelo de "viri probati" é visto como um prelúdio para mulheres sacerdotes: Boff citou com aprovação um colega teólogo dizendo: "Só quandofoi transformado de dentro, e reconstituída em relação ao comunidade como um todo, poderia se tornar algo transferível para as mulheres. É notável que o bispo Lobinger, pioneiro da "viri probati", escreveu que "porque a maioria dos líderes locais comprovados são mulheres, embora a atual lei da igreja não permita isso".

O bispo Kräutler, que estará no comitê do sínodo, parece ter opiniões semelhantes. Ele disse a "Die Presse", em 2014, que a porta para as mulheres "sacerdotes" não estava permanentemente fechada.

n/d

"Sim", respondeu o bispo Kräutler, " Algo menos controverso, mas mais proeminente, é outro membro do comitê, o cardeal Claudio Hummes, amigo do papa Francisco, que levantou a possibilidade de padres casados, segundo Boff,

O cardeal fez um pedido especial para os sacerdotes que, depois de deixar o sacerdócio, agora estavam casados, para que pudessem retornar ao ministério ativo. Quanto a outras opiniões do cardeal Hummes sobre o sacerdócio, ele disse em 2014 que a Igreja poderia repensar a ordenação das mulheres. (Quando solicitado na mesma entrevista se Jesus Cristo apoiaria o casamento gay, ele disse que não sabia).

O comitê sinodal também inclui ex-colaboradores do Papa Francisco, como o arcebispo Pedro Jimeno e o cardeal Carlos Retes, que trabalharam com o Papa na declaração de Aparecida, emitida pelos bispos latino-americanos em 2007.Quase todos os membros do comitê são bispos sul-americanos . Os outros são dois oficiais do Vaticano, o cardeal Peter Turkson e o arcebispo Paul Gallagher;uma freira, María Irene Lopes dos Santos, que representa homens e mulheres religiosos da região; e um leigo, Mauricio López, secretário executivo da Rede Eclesial Pan-Amazônica.

O sínodo provavelmente abordará questões de pobreza e exploração.Mas, assim como o sínodo de 2014-15 foi dominado por questões sobre divórcio e comunhão, é bem possível que algumas propostas muito estranhas sobre o sacerdócio dão sombra à reunião de 2019.

Visto em: religionlavozlibre.blogspot.com.br