Escola católica jesuíta americana, está celebrando sua primeira "semana de cultura (Gay) LGBT".

Publicado no dia 14 Abril 2018

Alegando que o evento se encaixa junto com o ensinamento de Francisco, que é um jesuíta

14.04.2018 -

Um colégio jesuíta em Nova Jersey EUA, está aceitando a homossexualidade com a promoção de sua primeira "semana gay". 

n/d

O site Church Militant recebeu uma dica nesta semana, que uma fonte interna criticou a (escola católica) St. Peter's, de Jersey City, por sediar uma "semana de história e cultura (gay) LGBT", segundo a Breaking Barriers, que é um grupo liderado por estudantes.

Havia um pôster que incluía atores, políticos e atividades "gays" em frente a Capela da escola, em que o Santíssimo Sacramento se encontra.

n/d

O Church Militant conversou com James Horan, o vice-presidente da St. Peter's, depois de ter sido transferido para o ministério do campus e para os departamentos de orientação. Ele justificou o escândalo e a confusão que a decisão da escola causou entre os fiéis católicos, dizendo: "Nós não promovemos nenhuma agenda ... ou um ponto de vista. Temos uma ênfase na tolerância em toda a escola de pessoas de todas as origens, todas as identidades sejam geográficas, econômicas, raciais ou sexuais".

Ele continuou insistindo que a dica que recebemos apontava para uma "conscientização entre nossos alunos e professores de que a escola é composta de pessoas que representam vários grupos diferentes. É um corpo discente e um corpo docente extremamente harmonioso e cooperativo. Eles não vêem nenhum isso como uma questão negativa".       

O tema da semana foi Uma experiência prismática que visa explorar e ecoar as narrativas e histórias inter-seccionais de pessoas "Queer" nos Estados Unidos. Ao fazê-lo, apoiaremos a maior comunidade (gay) LGBTQ.

Houve um tempo para os estudantes fazerem uma promessa de "alianças" durante o almoço e ouvirem um painel de estudantes (gay) LGBT conversando sobre sua experiência na escola St. Peter's.

Church Militant conversou com o diretor de comunicações da arquidiocese de Newark, Jim Goodness, que disse à Church Militant que estava ouvindo sobre a "semana gay" pela primeira vez e que "desconhecia".

Militante da Igreja perguntos especificamente à arquidiocese: Vocês tem uma resposta ao escândalo e confusão que a "semana gay" representava para alunos, professores, funcionários e pais?

A Arquidiocese e o Cdl. Joseph Tobin tolera uma exibição tão flagrante da "agenda gay" em uma de suas escolas católicas, que está educando e formando meninos espiritualmente, academicamente e socialmente em homens?

A escola católica não deveria salvar almas e preparar meninos e meninas para o Céu? 

Goodness recusou-se a responder às perguntas no momento da publicação. 

A instituição jesuíta também recebeu o orador pró-aborto e pró-gay, Darnell Moore, na terça-feira. Ele já elogiou sua sexualidade no passado, inclusive recebendo tratamento por duas vezes, devido uma doença sexualmente transmissível, enquanto estudava na Universidade Seton Hall.

Moore foi nomeado em 2009 pelo ex-prefeito pró-aborto e pró-gay de Newark, Cory Booker, como o primeiro presidente da Comissão Consultiva de Preocupações LGBT da cidade. Ele também é escritor-residente no Centro de Religião Afro-Americana, Sexualidade e Justiça Social da Universidade de Columbia, em Nova York.  

No entanto, Horan afirmou que a escola continua sendo uma "escola secundária católica e jesuíta, e esse é o nosso valor central". Ele também alegou que a "semana gay" se encaixa junto com "o ensinamento do papa Francisco, que é um jesuíta".

Outras escolas jesuítas, incluindo a St. Xavier High School em Cincinnati, Ohio, Saint Ignatius High School em Cleveland, Ohio, e Brophy College Preparatory em Phoenix, Arizona, comprometeram sua identidade católica nos últimos anos, substituindo ortodoxia e tradição por heterodoxia e liberalismo. . 

Visto em: www.churchmilitant.com  via  www.rainhamaria.com.br.