Sodomia na Igreja declarada: Padre espanhol celebra missa "gay" LGBT em Madri. Altar foi ornamentado com pano e velas nas cores da bandeira do orgulho gay

Publicado no dia 12 Setembro 2018

11.09.2018 -

E diante do completo silêncio do Arcebispo de Madri sobre o fato.

Mario Picazo é sacerdote diocesano de Granada (Espanha), pároco da Igreja Nsra. da Paz e da Sagrada Família (Cartuja) e Conselheiro Geral da Juventude Trabalhadora Cristã. No último final de semana ele participou de um encontro homossexual na sede da Comisiones Obreras, que incluiu o que parece ser uma eucaristia sacrílega.

n/d

Este é o início da crônica publicada na Religion Digital sobre o encontro organizado pela Associação Juan XXIII neste final de semana em Madri:

"Realizou-se na filial de Madrid das Comissões de Trabalhadores e contou com a participação de mais de seiscentos teólogos e fiéis comprometidos da Espanha e além. Mas nem o local de prestígio nem atendimento tão lotado foram os que fizeram Encerramento 38 Congresso da Associação de Teólogos João XXIII, mas suas reivindicações em favor dos cristãos (gays) LGBTIQ.

A Missa ainda uniu os crentes de outras religiões, que se reuniram para a celebração. Tomando exemplo do slogan Congresso na edição deste ano "Misticismo e Libertação", patrimônio de qualquer religião.

Alguns jovens e os religiosos se posicionaram no altar no início da Missa, para acender algumas velas nas cores da bandeira do arco-íris (orgulho gay).

n/d

O padre Mario Picazo foi nomeado conselheiro geral da Ação Católica JOC em 2015 pelos bispos da comissão permanente da Conferência Episcopal.

Visto em: infovaticana.com  via  www.rainhamaria.com.br

============================

Nota de www.rainhamaria.com.br

Por Dilson Kutscher

Só me resta repetir o seguinte:

A nova "misericórdia", que estes "lobos em pele de cordeiro" criaram,  declara apenas que Deus os ama, não importa que caminho sigam, não importa que continuem pecando e permaneçam em seus pecados, pois, todos se salvam. Deus é Amor, esqueçam o Deus Justiça, Justo Juiz. Não havendo um Deus que condena, não existe mais condenação ou castigo, logo, não existe mais inferno, é uma anti-igreja pregando um anti-Evangelho.

Mas...diz na Sagrada Escritura:

"Não digas: A misericórdia do Senhor é grande, ele terá piedade da multidão dos meus pecados, pois piedade e cólera são nele igualmente rápidas, e o seu furor visa aos pecadores". (Eclesiástico 5, 6-7)

"Acaso não sabeis que os injustos não hão de possuir o Reino de Deus? Não vos enganeis: nem os impuros, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os devassos". (I Coríntios 6, 9)

"Não te deitarás com um homem, como se fosse mulher (ou mulher com mulher): isso é uma abominação". (Levítico, 18, 22)

"Por minha vida - oráculo do Senhor Javé, não me comprazo com a morte do pecador, mas antes com a sua conversão, de modo que tenha a vida. Convertei-vos! Afastai-vos do mau caminho que seguis; por que haveis de perecer, ó casa de Israel". (Ezequiel 33, 11)