Sinal dos Tempos: Pacientes dividem espaço com corpos, no hospital de emergência (CER) da Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio

Publicado no dia 06 Agosto 2019

06.08.2019 - Nota de www.rainhamaria.com.br

Diz na Sagrada Escritura:

"Ele lhes respondeu: Quando vem a tarde, dizeis: Haverá bom tempo, porque o céu está avermelhado. E de manhã: Hoje haverá tormenta, porque o céu está de um vermelho sombrio. Hipócritas! Sabeis distinguir o aspecto do céu e não podeis discernir os sinais dos tempos?" (São Mateus 16, 2-4)

========================================

Pacientes dividem espaço com corpos no CER) da Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio.

Pacientes internados na Sala Vermelha do CER da Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio, estão dividindo espaço com corpos. Segundo os funcionários não há espaço no necrotério.

n/d

“Pacientes lúcidos ainda e tendo que lidar com essa situação de ficar vendo esses pacientes mortos, no meio da Sala Vermelha, por não ter espaço no local adequado que é o morgue, o necrotério”, diz o funcionário.

A Sala Vermelha é onde ficam os pacientes mais graves. "Numa Sala Vermelha que a gente tem capacidade para 14 pacientes, a gente chega a 20. Já chegou a 25. Nesse final de semana a gente tinha 18", contou o funcionário.

O pai da Camila está internado na Coordenação de Emergência (CER) da Barra desde sábado (3), depois de ter sofrido um AVC (acidente vascular cerebral).

“Ele estava sem sonda. Tinha sonda lá dentro e ninguém deu nada. Ele estava desde segunda-feira sem comer. E eu pedindo sonda, pedindo socorro. E por negligência médica, agora ele está na Sala Vermelha, sendo entubado nesse momento. E é só Deus”, lamentou Camila.

Os profissionais da CER da Barra trabalham sob forte pressão. De acordo com funcionários, muitas vezes eles se veem tendo que escolher qual paciente vai receber o tratamento adequado, o que pode ser a diferença entre a vida e a morte. Tudo por causa da baixa quantidade de remédios, insumos e equipamentos.

"Falta monitor para colocar paciente. Também faltaram bombas infusoras e ventiladores mecânicos. Muito complicada essa situação porque a gente teve que ficar escolhendo qual paciente que ia usar tal equipamento e qual não ia. Tendo que colocar medicação de altíssimo risco para a vida dos pacientes sem a bomba infusora, que é a bomba infusora que controla essa quantidade de remédio que entra no paciente, podendo levar até a morte do paciente”, explica um funcionário.

A Sala Amarela, intermediária, está superlotada. A capacidade é para dez pacientes, mas tem 30 pessoas. Pacientes em poltronas e macas sem nenhum recurso. Faltam equipamentos e também profissionais.

“Na Sala Amarela tem que ter um médico, dois enfermeiros e cinco técnicos, isso para dez pacientes. Na verdade, nessa madrugada a gente não tinha nenhum médico na Sala Amarela”, revelou o funcionário.

O coordenador médico da emergência da Barra, Bruno Guimarães. Ele disse que não faltam médicos na unidade e falou sobre o a lotação no necrotério.

“Quando há superlotação ou quando há um congestionamento nesse necrotério, entramos em contato com o Hospital Lourenço Jorge, partindo do princípio que somos uma unidade pré-hospitalar e integramos esse complexo, e fazemos essa transferência dos corpos. Quanto ao número de leitos e equipamentos, eles são comportados de acordo com a estrutura da unidade. Nós conseguimos e sempre atendemos um número relativamente maior do que aquele que comportamos na unidade. E nós conseguimos alinhar com o Lourenço Jorge e com a Central de Regulação a transferência desses pacientes para não haver uma superlotação dessas salas”, disse Guimarães.

Fonte: G1

============================

Nota de www.rainhamaria.com.br

Diz na Sagrada Escritura:

"E, ante o progresso crescente da iniqüidade, a caridade de muitos esfriará". (São Mateus 24, 12)

"Debaixo do sol, observei ainda o seguinte: a injustiça ocupa o lugar do direito, e a iniqüidade ocupa o lugar da justiça". (Eclesiastes 3, 16)

"Pus-me então a considerar todas as opressões que se exercem debaixo do sol. Eis aqui as lágrimas dos oprimidos e não há ninguém para consolá-los". (Eclesiastes 4, 1)

n/d

"Porque conheço o número de vossos crimes e a gravidade de vossos pecados, opressores do justo, exatores de dádivas, violadores do direito dos pobres em juízo". (Amós 5, 12)

"Ouvi a palavra do Senhor, príncipes de Sodoma; escuta a lição de nosso Deus, povo de Gomorra: Cessai de fazer o mal, aprendei a fazer o bem. Respeitai o direito, protegei o oprimido; fazei justiça ao órfão, defendei a viúva. Ai de vós, que ajuntais casa a casa, e que acrescentais campo a campo, até que não haja mais lugar, e que sejais os únicos proprietários da terra". (Isaias 26)

"...porque seus pecados se acumularam até o céu, e Deus se lembrou das suas injustiças" (Apocalipse 18, 5)