NASA admite que as mudanças climáticas ocorrem devido à mudanças na Órbita Solar da Terra

Publicado no dia 05 Setembro 2019

05.09.2019 -

n/d

Por mais de 60 anos, a Administração Nacional da Aeronáutica e Espaço (NASA) sabe que as mudanças que ocorrem nos padrões climáticos planetários são completamente naturais e normais. Mas a agência espacial, por qualquer motivo, optou por deixar a farsa do aquecimento global provocada pelo homem persistir e se espalhar, em detrimento da liberdade humana.

Era o ano de 1958, para ser mais preciso, quando a NASA observou pela primeira vez que mudanças na órbita solar da Terra, junto com alterações na inclinação axial da Terra, são responsáveis ​​pelo que os cientistas climáticos hoje apelidaram de "aquecimento" (ou "resfriamento", dependendo da agenda deles). De forma alguma, são os seres humanos que estão aquecendo ou esfriando o planeta dirigindo veículos utilitários esportivos ou comendo carne, em outras palavras.

Mas a NASA até agora falhou em esclarecer as coisas e optou por ficar em silêncio e observar os liberais surtarem sobre o mundo supostamente.

No ano de 2000, a NASA publicou informações em seu site Earth Observatory sobre a Teoria Climática de Milankovitch, revelando que o planeta está, de fato, mudando devido a fatores estranhos que não têm absolutamente nada a ver com a atividade humana. Mas, novamente, essas informações ainda não foram divulgadas, cerca de 19 anos depois, razão pela qual esquerdistas obcecados pelo clima começaram agora a afirmar que realmente só temos 18 meses antes que o planeta morra por excesso de dióxido de carbono (CO2).

A verdade, no entanto, é muito mais parecida com a que o astrofísico sérvio Milutin Milankovitch, após o qual a Teoria Climática de Milankovitch, propôs sobre como as variações sazonais e latitudinais da radiação solar que atingem a Terra de diferentes maneiras e em diferentes momentos, têm o maior impacto nas mudanças dos padrões climáticos da Terra.

As duas imagens abaixo (de Robert Simmon, NASA GSFC) ajudam a ilustrar isso, com a primeira mostrando a Terra em uma órbita quase zero e a segunda mostrando a Terra em uma órbita de 0,07. Essa mudança orbital é representada pela forma oval excêntrica na segunda imagem...

n/d

...que foi intencionalmente exagerada com o objetivo de mostrar a enorme mudança na distância que ocorre entre a Terra e o sol, dependendo de estar em periélio ou afélio.

n/d

“Nem sequer a excentricidade máxima da órbita da Terra - 0,07 - seria impossível mostrar na resolução de uma página da web”, observa o programa de rádio Hal Turner. "Mesmo assim, na atual excentricidade de 0,017, a Terra está 5 milhões de quilômetros mais perto do Sol no periélio do que no afélio."

Quanto à obliquidade da Terra, ou sua mudança na inclinação axial, as duas imagens abaixo (Robert Simmon, NASA GSFC) mostram o grau em que a Terra pode mudar tanto em seu eixo quanto em sua orientação rotacional. Nas inclinações mais altas, as estações da Terra se tornam muito mais extremas, enquanto nas inclinações mais baixas elas se tornam muito mais suaves. Uma situação semelhante existe para o eixo rotacional da Terra, que, dependendo de qual hemisfério é apontado para o Sol durante o periélio, pode impactar bastante os extremos sazonais entre os dois hemisférios.

n/d

n/d

Com base nessas diferentes variáveis, Milankovitch conseguiu criar um modelo matemático abrangente, capaz de calcular as temperaturas da superfície da Terra no tempo, e a conclusão é simples: o clima da Terra sempre mudou e está em constante estado de fluxo devido a nenhuma falha nossa como seres humanos.

Quando Milankovitch apresentou seu modelo pela primeira vez, ele foi ignorado por quase meio século. Então, em 1976, um estudo publicado na revista Science confirmou que a teoria de Milankovitch é, de fato, precisa e que corresponde a vários períodos de mudanças climáticas que ocorreram ao longo da história.

Em 1982, seis anos após a publicação deste estudo, o Conselho Nacional de Pesquisa da Academia Nacional de Ciências dos EUA adotou a teoria de Milankovitch como verdade, declarando que:

“... as variações orbitais continuam sendo o mecanismo mais minuciosamente examinado de mudança climática nas escalas de tempo de dezenas de milhares de anos e são de longe o caso mais claro de um efeito direto da mudança de insolação na atmosfera mais baixa da Terra.”

Se tivéssemos que resumir tudo em uma frase simples, seria o seguinte: O maior fator que influencia os padrões climáticos e climáticos na Terra é o Sol , ponto final. Dependendo da posição da Terra em relação ao Sol a qualquer momento, as condições climáticas vão variar drasticamente e até criar anormalidades drásticas que desafiam tudo o que os humanos pensavam que sabiam sobre o funcionamento da Terra.

Mas, em vez de abraçar essa verdade, os “cientistas” do clima de hoje, reunidos por políticos esquerdistas e uma grande mídia cúmplice, insistem que não usar sacolas reutilizáveis ​​no supermercado e não ter veículo elétrico está destruindo o planeta tão rapidamente que é absolutamente necessário implementar impostos climáticos globais como solução.

“O debate sobre mudanças climáticas não é sobre ciência. É um esforço para impor controles políticos e econômicos à população através da elite”, escreveu um comentarista no Hal Turner Radio Show.

"E é outra maneira de dividir a população contra si mesma, com alguns que acreditam no aquecimento global causado pelo homem e outros que não, ou seja, dividem e conquistam.".

Visto em: www.anovaordemmundial.com

===========================

Nota de www.rainhamaria.com.br

Profecia de Nossa Senhora de La Salette, aparição na França em 1846: "As estações serão mudadas, a terra não produzirá senão maus frutos, os astros perderão os seus movimentos regulares, a lua não refletirá senão uma luz avermelhada; a água e o fogo causarão ao globo terrestre movimentos convulsivos e horríveis terremotos, que farão tragar montanhas, cidades. Chegou o tempo. O sol se escurece; somente a fé viverá".

Diz na Sagrada Escritura:.

"Haverá sinais no sol, na lua e nas estrelas. Na terra a aflição e a angústia apoderar-se-ão das nações pelo bramido do mar e das ondas. Os homens definharão de medo, na expectativa dos males que devem sobrevir a toda a terra. As próprias forças dos céus serão abaladas" (São Lucas 21, 25-26).