Uma Biografia da Santa Dulce dos Pobres, o "anjo bom" da Bahia

Publicado no dia 03 Outubro 2019

03.10.2019 -

Cena do filme "Irmã Dulce" - Pedindo ajuda para os seus pobres

Disse a Irmã Dulce, o "anjo bom" da Bahia: "Se o pobre representa a imagem de Deus, então nunca é demais o que fazemos pelos pobres. O importante é fazer caridade, não falar de caridade. Se Deus viesse à nossa porta, como seria recebido? Aquele que bate à nossa porta, em busca de conforto para a sua dor, para o seu sofrimento, é um outro Cristo que nos procura".

Nota de www.rainhamaria.com.br

Diz na Sagrada Escritura:

"Respondeu Jesus: Amarás o Senhor teu Deus de todo teu coração, de toda tua alma e de todo teu espírito (Dt 6,5). Este é o maior e o primeiro mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás teu próximo como a ti mesmo (Lv 19,18). Nesses dois mandamentos se resumem toda a lei e os profetas" (São Mateus 22, 37-40).

"De que aproveitará, irmãos, a alguém dizer que tem fé, se não tiver obras? Acaso esta fé poderá salvá-lo? Se a um irmão ou a uma irmã faltarem roupas e o alimento cotidiano, e algum de vós lhes disser: Ide em paz, aquecei-vos e fartai-vos, mas não lhes der o necessário para o corpo, de que lhes aproveitará? Assim também a fé: se não tiver obras, é morta em si mesma" (São Tiago 2, 14-17).

"Quem possuir bens deste mundo e vir o seu irmão sofrer necessidade, mas lhe fechar o seu coração, como pode estar nele o amor de Deus? Meus filhinhos, não amemos com palavras nem com a língua, mas por atos e em verdade" (I São João 3, 17-18).

"O Senhor não vê como o homem: o homem vê a aparência, mas o Senhor vê o coração" (Samuel 16,7).